Como fazer uma nuvem

Já pensou uma nuvem dessas numa festa da escola? Encontrei essa ideia ótima no blog The Farms Chics. Ao abrir o link, você verá que se usam balões brancos grandes, cola, papel e espuma de travesseiro.

Anúncios

Reforçando o relacionamento com a escola de seu filho

Mais um ano letivo começou e tenho aprendido que desde o início os pais devem se envolver para assegurar o sucesso dos filhos na escola. Como educadora e mãe,  acredito que esse é o caminho. Meus filhos estão numa escola nova este ano, bem grande e com ótimas referências, mas sei que nada disso vai adiantar se não tivermos aqui em casa uma organização para acompanhar o desenvolvimento deles: contato com a escola, apoio nas tarefas, horários determinados para as atividades escolares e para as extraescolares… Já visitamos a escola e conversamos com a orientadora sobre nossos filhos e sobre seus pontos fortes e fracos em relação ao aprendizado, sobre o que a escola pode esperar de nós e o que esperamos da escola. Mais importante, demos todo apoio e nos colocamos à disposição para sermos parceiros. Tenho informações sobre os professores e sobre a metodologia utilizada por eles nas aulas e na avaliação, leio e assino a agenda deles todos o dias e ligo pra escola uma vez por semana. Estamos aguardando ansiosos a primeira reunião de pais, quando conheceremos pessoalmente os professores e faremos perguntas que irão ajudar a reforçar nossa parceria e garantir o sucesso. O site Educar para Crescer elaborou uma lista com 10 perguntas que os pais ou responsáveis podem fazer aos professores para iniciar essa relação de parceria. Pergunte e, se possível, anote as respostas para avaliar durante o ano letivo como anda a proposta da escola, o desenvolvimento de seu filho e seu próprio acompanhamento. Clique para ler a explicação para cada pergunta.

1. Meu filho participa das aulas?
2. Como meu filho se relaciona com colegas, professores e escola em geral?
3. Devo ajudar nas tarefas de casa?
4. Como ajudar nas tarefas?
5. Como posso me integrar à escola?
6. Qual a rotina da escola em relação às tarefas?
7. Como a escola organiza comemorações?
8. Como a escola avaliará o avanço do meu filho?
9. Como é a comunicação entre a família e a escola?
10. Qual é a sua posição em relação a faltas?

Alfabeto móvel de tecido

Sou professora, alfabetizadora, então eu gosto muito do alfabeto, claro! Utilizo o alfabeto móvel o tempo inteiro enquanto ajudo as crianças da minha escola a aprender a ler e escrever. O meu alfabeto preferido é o do nosso jogo de Palavras Cruzadas, que levo sempre para a escola. Mas esse alfabeto que encontrei é muito interessante e fácil de fazer, tem um ímã e pode ser usado na geladeira ou em outra superfície pra deixar recados pra família. Tem passo a passo.

Faça capa de cordel com bandejas de isopor

A professora de Arte da minha escola usou essa técnica pra fazer a capa do cordel dos alunos do 4º Ano. Olha só que interessante: ela usou uma bandeja de isopor para frios, daquelas do supermercado, um lápis, tinta e um rolinho de espuma. Pra imprimir sobre tecido, usar tinta de tecido e sobre o papel, usar tinta guache. Essa técnica pode ser usada pra fazer pintura em diferentes materiais, basta usar a criatividade. Já pensou em imprimir uma imagem criada por você e fazer almofada, quadrinho…?

Fonte: The Meta Picture

Você tem cérebro? Então, use-o!

Dentro de cada cérebro humano, há bilhões e bilhões de interconexões complexas, de neurônios e sinapses que a ciência mal começou a entender. Juntamente com o mistério da mente e do espírito, o cérebro humano se torna um laboratório tão vasto e intrincado que poderíamos trabalhar nele por um milênio e ainda assim apenas “arranhar a superfície”.  Ben Carson, no livro Risco Calculado, pág. 254.

Quando li as palavras acima na conclusão do livro Risco Calculado, de Ben Carson, comecei a pensar em como realmente tenho usado meu cérebro. Quando temos um problema aparentemente sem solução, ou uma crise de desânimo ou um momento de indecisão deveríamos nos lembrar que Deus nos dotou desse maravilhoso órgão cujo potencial é infinito. Sabe o que significa ter um cérebro e não utilizar? É como estar cheio de dívidas, ter um milhão de euros desvinculados na conta bancária e simplesmente ignorar.

Como educadora, fico estudando formas de estimular o hábito de leitura nas crianças e quando elas descobrem o prazer de ler… oh, que mararavilhoso mundo se abre para elas! Infelizmente, é muito difícil, até para professores, desenvolverem o prazer de ler. Isso é muito sério! Já ouvi professores dizendo: “Não tenho tempo”, “Tenho problema de vista”, “Eu odeio ler”, “Tenho mais o que fazer”, “Quando saio da escola, vou cuidar dos meus filhos”… Certa vez, numa escola onde trabalhei, uma professora ficou muito chateada porque foi convidada pra participar de um programa de leitura que estávamos promovendo.  Me preocupo sinceramente com nossas crianças.

A Bíblia já diz que “O povo perece por falta de conhecimento” (Oséias 4:6).

Acho que, como uma pessoa criada carinhosamente por um Deus maravilhoso, devo retribuir fazendo o melhor da minha vida. Preciso ter um projeto pessoal cujo objetivo seja crescimento e isso inclui a leitura, certamente. Às vezes estamos tão ocupados cuidando dos afazeres domésticos, dos filhos, dos desafios do trabalho, que esquecemos ou não achamos importante dedicar tempo a treinar o cérebro.

Das lembranças que tenho da minha infância, está minha mãe lendo, fazendo palavras cruzadas, montando quebra-cabeças de mil peças e nós, os filhos envolvidos nesses exercícios de treinamento cerebral. Eu realmente criei muito hábitos saudáveis na minha infância graças à minha mãe. Ela me ensinou a gostar de ler. Nunca tive dificuldades na escola, era boa aluna, mas só fiz faculdade depois que as crianças nasceram, porque meu marido me convenceu que eu poderia ir muito mais longe utilizando meu cérebro precioso. Acho que faltava isso pra eu acreditar. Depois que ele fez isso por mim, não tive dificuldades pra passar em todos os vestibulares que fiz: Letras e História na UEMA e Pedagogia e Jornalismo na UFMA, todos em excelentes colocações e sem fazer cursinho, já que a grana sempre foi muito curta. Recentemente passei em um concurso público bastante concorrido aqui no sudeste do país, em 4º lugar. Isso pode não representar muito para algumas pessoas, mas para uma mulher como eu, que trabalhava cerca de 10 horas por dia e cuidando da família e da casa é algo fora do comum. Acredito que posso ir mais longe. Quero avançar nos meus estudos, aprender um novo idioma, passar em outro concurso público, ler mais… Não dá pra saciar a sede de conhecimento.

No livro Sonhe Alto, Ben Carson diz que somente Deus pode limitar aonde nós poderemos chegar se usarmos todo o potencial do nosso cérebro. Ele conta que quando ele e o irmão eram crianças e reclamavam a respeito de algum problema que achavam insuperável, a mãe deles fazia uma cara de dúvida e perguntava: “Você tem cérebro?”. Ela estava insinuando: Se você tem cérebro, então, use-o! Isso é o que você precisa pra superar qualquer problema! 

Murais de escola

Os murais podem servir para colocar anúncios, expor trabalhos dos alunos ou para comemorar uma data ou evento. Aproveite essas ideias inspiradoras para os murais do corredor de entrada ou para a sala de aula de sua escola. Vi no The First Grade Parede.

TNT preto para o fundo, cartolina de várias cores para o foguete e amarela para as estrelas, papel de seda para a fumaça em 3D, cordão colorido para marcar a trajetória do foguete e adesivo de planetas para a molduraPapel de seda marrom e verde para a árvore, craft (cenário) para a ilha e para o baú e o mesmo papel para o fundo do mural, só que amassado e desamassado. Celofane amassado azul para a água.TNT preto para o fundo, papel de seda azul para as bordas, cartolina e papel 40 Kg para as figuras, celofane para a água, algodão para as nuvens e papel de seda amassado para a estradinha do fusca. Esse é perfeito pra expor os trabalhos dos alunos e pode tomar conta de uma parede inteira. Papel de seda marrom e verde para as árvores, cartolina verde para a grama, cordão e pregadores de roupa para o mural.