Link

Ano passado fui professora de um menino de oito anos com paralisia cerebral, com todos os movimentos comprometidos. Não fala e não enxerga, mas sorria sempre quando ouvia minha voz e sentia meu beijo na sua bochecha fofa. Lembrei muito dele hoje ao ver esse filme lindo que foi criado pelo espanhol Pedro Solis, que tem um filho com paralisia cerebral e uma filha apaixonada pelo irmão. No final, ele agradece à filha por inspirar a história e deseja que o filho jamais a tivesse inspirado. Cuerdas é emocionante e encantador. Não deixe de assistir e descubra o porquê do nome do filme.

Link

Oi, amigos! Trabalhando na área de educação tenho contato com crianças com diferentes necessidades especiais, inclusive na minha turminha de 2º Ano, tenho um aluno, 8 anos, com paralisia cerebral que tem sido um desafio pra mim. Entre outras dificuldades, ele tem comprometimento nos movimentos, é cadeirante, e não fala. Descobri que ele adora música. Enquanto as outras crianças fazem aula de flauta, ele canta do seu jeito. Ele é super simpático e todas as crianças são apaixonadas por ele. Eu também, claro! Bem, desde que o conheci, no início deste ano, fiquei muito envolvida com a área de educação especial, e curiosa para conhecer um pouco mais para poder ajudar meus alunos. No momento, estou fazendo um curso de formação em tecnologias da informação e comunicação acessíveis, voltado para a educação especial e oferecido pelo MEC. Enquanto estudo, vejo vídeos e filmes relacionados pra conhecer os tipos de necessidades e dificuldades com as quais lidamos na escola. Fiz uma seleção de alguns e recomendo para vocês. Mesmo que você não seja professor, é muito provável que conheça alguma criança o adulto que apresenta alguma dessas dificuldades. Vamos à lista:

Filme: Primeiro aluno da Classe

O tema do filme é a Síndrome de Tourette, que é um distúrbio no cérebro que leva o portador a emitir sons e movimentos involuntários e repetidos, tiques, reações rápidas. Nenhum portador de ST apresenta os mesmos tiques e é mais comum no sexo masculino. O filme conta a história real do professor Brad Cohen (Jimmy Wolk) que sofreu preconceito a vida inteira e superou, tornando-se um professor premiado. Vi esse filme hoje e garanto que vale a pena.

Filme: O escafandro e a borboleta

Jean-Dominique Bauby, redator de uma famosa revista francesa sofreu um AVC e ficou em coma profundo. Quando acordou, havia perdido todas as suas funções motoras, a não ser o movimento do olho esquerdo. Bauby vivia preso dentro de seu mundo, como em um escafandro, mas não se conformou. Usou seu olho para se comunicar e desenvolveu, junto com sua terapeuta, uma forma inusitada de escrever o que sentia. Foi assim que escreveu sua biografia, que veio a se transformar em filme.

Filme: Como estrelas na Terra: toda criança é especial

Filme marcante sobre dislexia produzido na Índia, conta a história de Ishaan Awasthi, 9 anos, que não aprende a ler e escrever, é distraído e apresenta comportamento fora do “normal”. Como forma de recuperá-lo, o pai o envia para um colégio interno e lá as coisas ficam piores, até que ele encontra um professor substituto de Arte que muda sua vida.Nota 1000!

Filme: Meu pé esquerdo

Algo impressionante nesse filme é o amor e cuidado da mãe de Christy Brown (Daniel Day-Lewis), algo que pode determinar a qualidade psicológica da criança com deficiência. Christy é um dos muitos filhos de uma humilde família irlandesa, tendo nascido com uma paralisia cerebral, movimentando apenas o pé esquerdo, com o qual escreve e pinta, tornando-se famoso e realizado.