Noivinhos de pregador de roupa

Que gracinha esse casal de noivos pra colocar sobre o bolo! Num  festinha de aniversário de casamento simples, esse enfeite delicado vai fazer muito sucesso. Veja o passo a passo no Como Fazer em Casa.

 

Papel de carta vintage

A artista Amy Moss criou esses lenços vintage para servirem de papel de carta para deixar recados para os noivos no dia do casamento. É uma ideia ótima, mas a gente pode pensar em um monte de outras coisas pra fazer com a ideia dela, como por exemplo, uma moldura para uma foto querida ou um simplesmente transformar a imagem num quadrinho. Que tal? Ela oferece as imagens para baixar no blog dela: Eat Drik Chic.

A arte do casamento, segundo Paul Newman

Nos nossos dias o casamento é considerado uma instituição falida e, segundo a Nova Lei do Divórcio, facilmente dissolvido. O número de divórcios tem disparado e fico imaginando que daqui a alguns anos o casamento vai ser peça de museu… Eu sempre sonhei com um casamento que durasse muitos anos, na verdade pra sempre e sou feliz por ter me casado com um homem que deseja envelhecer ao meu lado. Foi assim com Paul Newman e Joanne Woodward, que se casaram em 1958 e só se separaram em 2008, quando Paul faleceu, aos 83 anos, vítima de câncer no pulmão, causado pelo cigarro. O seguinte texto, dizem, é de autoria de Paul Newman, escrito para Joanne:

A felicidade no casamento não é algo que simplesmente acontece, um bom casamento deve ser criado. Na arte do casamento, as coisas grandes são as coisas pequenas. É lembrar de dizer um “eu te amo” uma vez ao dia pelo menos. É ter um sentimento mútuo de valores comuns. É enfrentar o mundo lado a lado. O casamento deve estar formado no amor que reúne toda a família. É fazer as coisas para o outro, não na atitude do dever ou sacrifício, mas no espírito de alegria. É demonstrar apreço e falar palavras de gratidão. É não procurar ser mais perfeito que o outro, mas cultivar a flexibilidade, paciência e compreensão e não esquecer do bom humor. É ter a capacidade de perdoar e esquecer. É oferecer um ao outro ambientes em que cada um pode crescer. É uma procura comum do bem e da beleza. É estabelecer um relacionamento em que a independência é igual, a dependência é  mútua e recíproca. É não só casar com o parceiro certo, mas também ser o parceiro certo.

Acho que quando Deus criou o homem e a mulher, o propósito que Ele teve para o casamento era parecido com isso, mas muito além…

Encontrei esse vídeo lindo que é uma homenagem a Paul e Joanne, ao som de Elvis Presley:

Can’t Help Falling In Love

Ótimos links pra começar a semana 11

 

1. Uma almofada xadrez com corações azuis de feltro iria alegrar o sofá ou a cama! 2. Bolas decoradas para um casamento – bolas de isopor cobertas com rosas feitas com tiras de camistas de malha – acredita? – que se tornam um item super elegante na decoração de um casamento ou onde você quiser. Ah, a almofada das alianças pode ser feita com a mesma técnica. 3. Não deixe o cachorrinho na varanda nesse inverno sem uma casinha quentinha pra ele dormir, faça essa barraca para seu cachorrinho com passo a passo bem fácil! 4. Dá até gosto ver a hora nesse relógio de parede com moldura de tricô colorida. Poderia ser feito também de crochê. 5. Mais uma vez se reciclam camisetas de malha, agora pra fazer um tapete todo entrançado. Se a camiseta não servir mesmo pra doar pra quem precisa, esse tapete pode ser uma boa ideia. 6. Como recuperar uma cúpula de abajur, deixando-o novinho e mais bonito.

Boa semana a todos!!!

Desabafos de um bom marido

Luís Fernando Veríssimo 

Minha esposa e eu temos o segredo pra fazer um casamento durar: duas vezes por semana, vamos a um ótimo restaurante, com uma comida gostosa, uma boa bebida, e um bom companheirismo. Ela vai às terças-feiras, e eu às quintas.
Nós também dormimos em camas separadas. A dela é em Fortaleza e a minha em São Paulo. Eu levo minha esposa a todos os lugares, mas ela sempre acha o caminho de volta. Perguntei a ela onde ela gostaria de ir no nosso aniversário de casamento. “Em algum lugar que eu não tenha ido há muito tempo!” ela disse. Então eu sugeri a cozinha.
Nós sempre andamos de mãos dadas. Se eu soltar, ela vai às compras. Ela tem um liquidificador elétrico, uma torradeira elétrica, e uma máquina de fazer pão elétrica. Então ela disse: “Nós temos muitos aparelhos, mas não temos lugar pra sentar”. Daí, comprei pra ela uma cadeira elétrica.”
Lembrem-se, o casamento é a causa número um para o divórcio. Estatisticamente, 100 % dos divórcios começam com o casamento. Eu me casei com a “Sra. Certa”. Só não sabia que o primeiro nome dela era “Sempre”.
Já faz 18 meses que não falo com minha esposa. É que não gosto de interrompê-la. Mas tenho que admitir, a nossa última briga foi culpa minha. Ela perguntou: “O que tem na TV?” E eu disse “Poeira”.
No começo Deus criou o mundo e descansou. Então, Ele criou o homem e descansou. Depois, criou a mulher. Desde então, nem Deus, nem o homem, nem o mundo tiveram mais descanso.
Quando o nosso cortador de grama quebrou, minha mulher ficava sempre me dando a entender que eu deveria consertá-lo. Mas eu sempre acabava tendo outra coisa para cuidar antes: o caminhão, o carro, a pesca, sempre alguma coisa mais importante para mim. Finalmente ela pensou num jeito esperto de me convencer. Certo dia, ao chegar em casa, encontrei-a sentada na grama alta, ocupada em podá-la com uma tesourinha de costura. Eu olhei em silêncio por um tempo, me emocionei bastante e depois entrei em casa. Em alguns minutos eu voltei com uma escova de dentes e lhe entreguei.
“- Quando você terminar de cortar a grama,” eu disse, “você pode também varrer a calçada.”
Depois disso não me lembro de mais nada. Os médicos dizem que eu voltarei a andar, mas mancarei pelo resto da vida”.

O casamento é uma relação entre duas pessoas na qual uma está sempre certa e a outra é o marido…

Recebi por e-mail e ganhei o dia com umas ótimas gargalhadas.

Amor e guerra

Quando criança, ouvi minha mãe contar que minha avó paterna, Dona Tile, havia se casado bem jovem, com um rapaz bonito, forte e bondoso chamado Alfredo, na década de 1930. Vó Tile era apaixonada pelo marido e eles viveram felizes durante seis meses, até que ele foi convocado para uma guerra no Rio de Janeiro e morreu em combate. Ela foi comunicada da morte do marido através de um telegrama que recebeu do exército. Algum tempo depois ela se casou com meu avô. Minha mãe contou que ouvia Vó Tile falar, de cor e salteado, o conteúdo do telegrama quando já era casada com meu pai. Meus pais se casaram em 1965.

Acredito que a guerra em que Alfredo morreu foi a Intentona de 1935, movimento liderado por Luis Carlos Prestes contra o governo de Getúlio Vargas.   

Histórias de amor me comovem, sou uma romântica irreparável. Hoje li uma história de amor muito linda, com um final mais feliz que o de Tile e Alfredo.  

O casal russo Boris e Anna se conheceu na aldeia em que ela vivia. Ele havia ido fazer um discurso comunista. Foi amor à primeira vista. Casaram-se em 1946 e depois de três dias de casados ele teve que voltar a sua unidade do Exército Vermelho. Se despediram com um beijo apaixonado, sem imaginar que passariam 60 anos separados. Aconteceu que o pai de Anna fora mandado ao exílio com toda a família por haver se recusado a obedecer ordens de Stalin. Anna se recusou a ir, até ameaçou se suicidar, mas foi obrigada a acompanhar seus pais. Quando Boris voltou à aldeia ficou desesperado por não encontrar a esposa e ninguém sabia onde estava a família. Assim eles se separaram.Na nova aldeia a mãe de Anna queimou todas as lembranças que ela tinha de Boris, cartas, poemas e fotos, inclusive as do casamento, e mentiu para ela, dizendo que Boris havia se casado, por isso não a procurava. O próximo passo da mãe de Anna foi arranjar um noivo para ela. Anna recusou-se a casar e tentou se matar, mas a mãe chegou na hora, deu-lhe um tapa no rosto e disse-lhe que não fosse tão estúpida. Ela acabou se casando como a mãe queria.

Algum tempo depois Boris também se casou e escreveu um livro sobre um jovem soldado que havia se casado com uma mulher com quem passou apenas três noites. Com o tempo Boris e Anna ficaram viúvos. 

Com o fim da União Soviética, Anna viajou para sua antiga aldeia e foi visitar a casa onde viveu com Boris durante aqueles três dias. Nesse mesmo dia, Boris chegou àquela aldeia para visitar o túmulo de seu pai e também foi até sua antiga casa. Ele tinha agora 80 anos.

 Boris e Anna Kozlov

Anna avistou aquele homem idoso descendo do carro e achou que o conhecia. Ele se aproximou olhando pra ela e os dois se reconheceram. Ela chorava de alegria, o coração acelerou. Ele a abraçou e disse:  ‘Minha querida, eu estive esperando por você por tanto tempo. Minha mulher, minha vida …'” Os dois passaram a noite interia falando sobre tudo que havia acontecido com eles e sobre as circunstâncias cruéis que os separaram.

Link: Russian couple reunited after 60 years apart