Noite Feliz

Estamos a poucos dias do Natal e vemos como essa essa data modifica o comportamento das pessoas. Todos ficam mais simpáticos, conversam mais, sorriem… As decorações das casas e das lojas são lindas, as músicas alegram o clima natalino, as comidas são especiais e muitos trocam presentes. Isso é maravilhoso, mas não podemos esquecer que não teríamos Natal se Jesus não tivesse nascido. O Filho de Deus veio para que todos nós tivéssemos salvação e naquela noite, mais de dois mil anos atrás, magos e pastores foram até Jesus. Que nós também possamos ir até Ele e levar de presente o nosso coração.

A seguinte história mostra como foi feita a mais conhecida música natalina. Que ela toque seu coração hoje. Feliz Natal!

Em um restaurante na Alemanha havia uma gaiola com um passarinho que encantava as pessoas com a música do seu lindo canto.

Ludwing Eck, regente do coral da catedral de Berlim, tomava o seu desjejum naquele restaurante e ouviu a melodia que o pássaro cantava. A espécie daquela é chamada bullfinch, que é um pequeno pássaro europeu de penas cinza e rosa. Diante do que ouviu, a expressão do regente ficou transtornada. Havia sete anos ele vinha procurando o compositor daquela música a pedido do imperador.

– De onde veio este pássaro? – perguntou ao garçom.

O rapaz lhe disse que o pássaro viera de um tal Felix Gruber, estudante no convento de São Pedro, que ficava na fronteira com a Áustria, perto de Salzburgo. Ele mesmo havia treinado aquele pássaro para cantar aquela melodia.

O regente Eck se dirigiu imediatamente para o convento, onde pediu ao abade para falar com Felix Gruber. Era um garoto de apenas 15 anos, que confirmou ter ensinado o pássaro.

– Meu pai escreveu a melodia e um amigo escreveu a letra – disse o jovem com certo orgulho.

Na semana seguinte, Eck e Felix chegaram à vila de Hallein, onde o Sr. Franz Gruber era o organista da igreja local. Ele explicou como fora composta aquela melodia:

– Na véspera do Natal de 1818, o órgão da igreja quebrou, e parecia que não teríamos nenhuma música no culto de Natal. Meu amigo Joseph Mohr, já falecido, havia escrito um poema sobre o nascimento de Cristo. A seu pedido, coloquei a melodia na letra e toquei-a em meu violão. Nunca pensamos que se tornaria tão popular.

O compositor foi convidado a visitar o imperador, que desejava muito conhecê-lo. O cântico era conhecido na Europa com “Cântico do Céu”. Quando perguntaram a Gruber que título haviam dado ao cântico no dia que o compusera, ele respondeu: “Noite Feliz!”

Deus nos mandou um Menino que será nosso rei. Ele será chamado de… Príncipe da Paz. Isaías 9:6

Fonte: Histórias Inesquecíveis, de Ana Köhler Bravo. Editora CPB.

Anúncios

8 respostas em “Noite Feliz

  1. Oi, Heloisa
    Será que dá pra tirar alguma lição dessa história? Sim, várias.
    A minha é que a gente nunca sabe quando uma ação pode vir a fazer bem a alguém (ou muita gente); então é melhor caprichar, mesmo nas mais simples.

    Um Natal ótimo pra você e sua família.

    Há braços

    Eduardo

  2. Helô:

    Adorei a postagem!

    Neste Natal… Vamos…

    “Multiplicar Amor
    Que nossas mãos possam ser portadoras de paz…
    De afago… De carinho…
    Que escorra delas os mais límpidos sentimentos…
    De bálsamos…de alivio… de força… de luz…
    Fazendo germinar amor entre as pessoas…
    Multiplicando cada melhor essência de nós…
    Fazendo-nos fortes ao meio á tempestade…
    Deixando-nos ver o sol que nasce…
    Que rompe a noite…Que se faz dia…
    Que se faz belo… Que se faz vida!
    Que se chama amor…”

    Feliz Natal e Próspero Ano Novo!
    Um abraço carinhoso.

  3. Ei Helô,

    “Natal, momento para renascer, crescer em espírito e verdade.
    Hora de acreditar que a vida pode ser diferente.
    Só depende de cada um de nós.”

    Desejo à você e toda sua família um Feliz Natal, com muitas alegrias e um Ano Novo repleto de realizações!

    Bjks com carinho,

    Áurea

    Ps: Linda a história da música. Aprendi piano quando criança e Noite Feliz foi uma das poucas músicas que ficaram gravadas na minha cabeça. Não toco mais, mas não me esqueci desta música! Legal né!

  4. Sim, o Natal é diferente, magio, entorpecente. pena que ande tão ‘mercadológico”
    Seria interessante deixarmos o consumismo de lado e passar pra cerne da ocasião. Ótimo post.

Fico muito feliz quando você faz um comentário. Volte mais vezes.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s